Tecnologia sustentável na sua construção

Concebido especialmente para realidade construtiva brasileira e 100% nacional,
o sistema construtivo ICF In Concreto é o que há de melhor em custo/beneficio.


FACEBOOK YOUTUBE

Perguntas frequentes

Não. Se trata de uma montagem feita sob medida para seu projeto, pois não é uma construção pré-fabricada. 2% de sobras!

Tanto para os construtores experimentados quanto para os particulares sem experiência, custa mais barato que numa obra tradicional se for considerado uma elaboração de projeto arquitetônico detalhado (empregue um arquiteto!) e a elaboração de um planejamento/calendário executivo para sua obra. O uso de tecnologia sustentável como o In Concreto que transfere a importância da mão de obra para os materiais acelerando a obra permitira respeitar finalmente as etapas construtivas e prazos.

Precisa-se apenas de ferramentas como furadeira/parafusadeira, martelo de borracha, nível de bolha e prumo. Não precisa de ferramentas elétricas especiais para cortar ferragens internas, mas apenas de um serrote para o isopor. Também usamos para a fixação, alinhamento, prumo e acesso superior para o enchimento de concreto nas paredes, um caibro aplainado ou esquadro/andaime. Esse pode ser feito em madeira na própria obra ou metal (uso profissional)

Certamente. O sistema ICF, montagem tipo Lego, é conhecido no mundo inteiro justamente pela sua simplicidade na auto construção, mesmo apenas nos fins de semana, pois isopor e concreto não se degradam com sol e chuva. Basta chamar os amigos e respeitar os 5 pontos fundamentais da obra: medidas, nivelamento, alinhamento, esquadro e prumo. Oferecemos a assistência conveniente a sua obra como manuais e formação.
Sim, recomendamos terceirizar etapas de construção como telhados, pisos, acabamentos, divisórias internas, etc: A terceirização apesar de aumentar em até 20% os custos, compensa pela maior qualidade nos resultados, do respeito contratual dos custos e também em prazos menores.
Sim, basta solicitar um montador credenciado a In Concreto.
Residências e prédios ate 7 andares, piscinas, cisternas, muros de contenção ou fechamento, galpões, câmaras frigorificas, etc.:..
Obra planejada com projeto o mais detalhado possível. Nosso compromisso é com a melhor técnica, custo e prazo para seu projeto, buscando soluções e resultados originais e mais performances.
Sim. Sem nenhuma restrição, inclusive usando somente a parede ou a laje In Concreto em complemento
Qualquer uma: estacas, sapatas, radier ou baldrame. Mas como o In Concreto é uma estrutura em concreto armado monolítico, esse minimiza a importância das fundações podendo em muitos casos suprimi-la, ou seja, a própria obra/estrutura se apoiara no terreno, com baldrames de cintamento ou laje tipo radier. Orientamos você ou seu projetista para o melhor compromisso nas ferragens.
Qualquer uma, porém é conveniente usar a nova exclusiva laje prancha In Concreto devido as suas características: economia, leveza, resistência, segurança e estocagem. Única a atender a norma anti ruído NBR 15575 por não apresentar pontes térmicas.
Para padrões construtivos como habitações ate 3 pavtos sem obrigação de projeto estrutural, adotamos ferragens de 5mm por fiada e ferragens de 8, 10 ou 12mm para as quinas verticais e horizontais das paredes e vergas dos vãos. Para construções exclusivas ou prédios, o estudo de solo e calculo estrutural são pertinentes inclusive para atender a norma NBR16055/2012 (paredes estruturais). O estudo de solo e calculo de cargas e estruturas são necessários para a adequação a NBR acima. Por principio, usamos malhas de ferragens de 24x26cm em bitola 8m, montadas juntamente com a montagem da parede

Podemos usar concreto manual, feito no canteiro, bem como concreto habitual de usina, bombeado ou não (2:2:1):

Laje prancha: fck 25mpa (350kg/m3) brita:1 (0,12 a 0,16) abat. 14+-2 (slump)

Parede estrutural: fck 25mpa (350kg/m3) brita: 0 (< 0,12 ) abat. 10+-2 (slump), tipo pastoso

As duas primeiras fiadas podem apresentar uma leve deformação no momento da concretagem bombeada, mas logo elas retornam a condição original.
Sim, mas depende da especificidade construtiva. Custo elevado
A própria placa EPS vibra e adensa o concreto, porem empregando concreto bombeado é pratico o uso vibrador para desobstruir abertura nas paredes para o derrame/concreto.
Sim, mas ela deve ser montada e preenchida em duas etapas de até 3,5m cada. Importante lembrar que se enchem as paredes formas de uma só vez e não aos poucos, fiada por fiada. In Concreto foi concebido para suportar a pressão do derrame do concreto em operação de enchimento simultâneo de paredes e lajes. Obra rápida.
Sim, mas com precaução, evitando 50cm das quinas e acompanhamento técnico responsável. As paredes estruturais In Concreto são para uso externo e/ou de apoio de lajes, coberturas e juntas de dilatação deixando livre todo o espaço interno habitável. A tendência moderna é empregar para as divisórias internas paredes leves tipo drywall.
Graças à pigmentação das placas, o material é repulsivo a eles. E não há espaço suficiente para interesse de fazer ninhos.
Observar o tipo de revestimento de acabamento mais apropriado ao projeto! A parede estrutural In Concreto é impermeável porem respira; Portanto não há preocupação com mofos e fungos.
Recorta facilmente o isopor/EPS das placas depois de concretá-las; sem gerar entulhos. As caixas elétricas se encastram corretamente nas placas EPS.
Observar o tipo de revestimento de acabamento mais apropriado ao projeto! A parede estrutural In Concreto é impermeável porem respira; Portanto não há preocupação com mofos e fungos.
Recorta facilmente o isopor/EPS das placas depois de concretá-las; sem gerar entulhos. As caixas elétricas se encastram corretamente nas placas EPS
Praticamente qualquer tipo de revestimento ou emboço aplicado à construção tradicional. Facilitado pelas ranhuras contidas nas placas, não é necessário chapiscar antes de emboçar ou colar revestimentos. Eventualmente para evitar micro fissuras, recomenda-se o uso de microfibra em alguns pontos com divisa de parede com laje. Nas fachadas, o emboco tradicional no traço: 2:2:1 com espessura de 10mm é suficiente.
Sim, mas não é recomendado, pois o EPS mesmo resistindo a alta pressão da concretagem, é sensível a impactos do dia a dia. Porem ele não se degrada ao longo do tempo com as intempéries e raios solares
Sim. Em caso de necessidade, retira-las com solventes ou raspando.
Sem problemas. Uso de tacos de madeira tradicionais, parafuso/buchas, spray de espuma expansiva ou argamassa. Faz-se o acabamento com qualquer revestimento
Para objetos leves, bucha expansiva como se faz geralmente no “Drywall”. Para peso, recortar o necessário no isopor e embuchar diretamente no concreto.
O sistema In Concreto usa placas EPS classe F retardante a chamas; em caso de incêndio elas não irão se incendiar ou propagar o fogo
Não, os cabos e conduítes retardam qualquer chama; No máximo o calor dos cabos em curto pode causar um pequeno encolhimento do EPS que não gera qualquer problema na parede e de fácil reparo.
Não. Ao contrario, pela inexistência de umidade e mofo, será bem menos agressivo a pessoas sensíveis ou alérgicas a mofos e ácaros
Nosso isopor/EPS esta em conformidade com as normas em vigor NBR 11948/2007 apresentando garantia ao longo de 50 anos por nossa parceria fabril Tecnocell. Presente no mercado desde 1996 e totalmente automatizada, ela emprega tecnologia italiana e alemã de ponta no processo de expansão do EPS/Isopor (poliestireno expandido) para uso na construção, com pigmentação e densidade elevada (29kg/m3). 100% sem impurezas e com retardante anti-chama, classe F.
Sim. In Concreto não é o produto final que interessa à Caixa. Os produtos ICF são apenas uma forma eficiente para sua obra chegar a este produto ou resultado final, o credito bancário. In Concreto se adequa a norma NBR16055/2012 (paredes estruturais) e é entendido como construção em concreto armado monolítico sendo aprovado por qualquer critério em engenharia civil, fiscais do urbanismo (prefeitura) e bancos.
Sim. O sistema ICF In Concreto por se tratar de uma parede forma em concreto monolítico armado atende a norma brasileira para paredes estruturais, a norma NBR16055/2012 podendo erguer edifícios ate 8 pavimentos. Além de não ser um isolante térmico como o painel EPS, mas sim um condicionador ambiental permanente conservando temperatura e umidade estável e de forma passiva devido a massa calórica inercial do concreto dentro das formas/revestimento em isopor.
Nenhuma, pois o isopor é apenas uma subcamada protetora de isolamento e umidade. Visualmente sua obra aparentara seu próprio revestimento ou pintura e lembrando que a manutenção será mínima pelas questões de solidez estrutural e anti-umidade.